Reunião discute aprimoramento do Disque 180 em Santa Catarina

Reunião discute aprimoramento do Disque 180 em Santa Catarina


Em reunião nesta quarta-feira, 17, a Secretaria de Estado da Assistência Social, Mulher e Família discutiu o aprimoramento do Disque 180, em Santa Catarina. O serviço de utilidade pública funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, para recebimento de denúncias de violência contra a mulher. Além de receber denúncias de violações, a central também encaminha o conteúdo dos relatos aos órgãos competentes e monitora o andamento dos processos.

A intenção é firmar um novo acordo de cooperação técnica entre o Governo do Estado e a coordenação nacional do Disque 180 para aprimorar as ações, especialmente em relação aos relatórios da central. “Hoje as chamadas são recebidas em Brasília e de lá a equipe encaminha para o órgão responsável, que pode ser a própria SAS ou em outros casos, a Secretaria de Estado da Segurança Pública, a intenção é que haja apenas um ponto focal no estado para que tenhamos mais efetividade e possamos direcionar essas vítimas para serviços especializados ”, comenta a secretária da SAS, Maria Helena Zimmermann.

Outra meta é melhorar o processo de atualização dos dados dos encaminhamentos feitos a partir de cada denúncia. Essa medida é importante para avaliar a efetividade desse serviço e também o funcionamento da Rede de Combate à Violência contra a Mulher no estado. “A partir desse novo acordo vamos aprimorar a alimentação dos dados dos encaminhamentos e com base nesses relatórios definir ações mais efetivas nas políticas públicas”, completa.

O assunto será tema de uma nova reunião no início de fevereiro. O encontro contará com mais representantes de Santa Catarina, entre eles o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim), a Secretaria de Segurança Pública, Defensoria Pública e Ministério Público.

Atendimento à mulheres vítimas de violência no âmbito da Assistência Social

A Secretaria de Estado da Assistência Social, Mulher e Família trabalha com foco especialmente, na prevenção à violência contra a mulher, por meio de diversos serviços oferecidos nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras) que estão nos 295 municípios.

Para reforçar a garantia de direitos e auxiliar na construção de políticas públicas para as mulheres, a SAS também está incentivando a implantação de Conselhos Municipais dos Direitos da Mulher em todas as cidades de Santa Catarina disponibilizando inclusive, no seu site, uma cartilha que facilita todo o processo de implantação.

Por meio do Cofinanciamento Estadual da Assistência Social, a SAS custeia os serviços de acolhimento para mulheres vítimas de violência nos municípios e também atende mulheres vítimas de violência nos Centros de Referência Especializados da Assistência Social (Creas), que terão o número de unidades ampliado em 2024.

Pensando nesse público, o Governo do Estado tem aplicado a Lei nº 18.300 que estabelece a reserva de vagas para mulheres em situação de vulnerabilidade econômica decorrente de violência doméstica. Em 2023, o governador Jorginho Mello também sancionou a Lei nº 18.666, que estabelece 4% das residências de programas de habitação popular em Santa Catarina para mulheres vítimas de violência doméstica. A intenção é garantir mais independência e contribuir para o fim do ciclo da violência.



Voltar

Comentários




Notícias Relacionadas


Vídeos


Posto de combustíveis é roubado na BR-470

Posto de combustíveis é roubado na BR-470

Projeto de lei endurece punição para praticantes da “Farra do Boi” em SC

Projeto de lei endurece punição para praticantes da “Farra do Boi” em SC

Prefeitura de Taió divulgou cronograma de licitações

Prefeitura de Taió divulgou cronograma de licitações