Governo Bolsonaro bancou maior programa de transferência de renda da história do Brasil, diz Secretário de Política Econômica

Governo Bolsonaro bancou maior programa de transferência de renda da história do Brasil, diz Secretário de Política Econômica


Em entrevista exclusiva à TV Jornal da Cidade Online, Adolfo Sachsida, secretário de política econômica do Ministério da Economia, destacou o esforço do governo federal para equilibrar as contas e ajudar a população nesse momento de crise. Com a melhor equipe econômica dos últimos tempos, o presidente Bolsonaro bancou o maior programa de transferência de renda da história do Brasil, impedindo que o povo morresse de fome por conta da paralisação das atividades em virtude da pandemia.

“O governo agiu em cinco grandes frentes. Primeiro, dinheiro para a saúde não pode faltar, então foram feitas transferências ao Ministério da Saúde. Segundo, auxílio à população carente, colocamos de pé um programa de mais de 150 bilhões de reais, que está beneficiando 64 milhões de brasileiros, o maior programa de transferência de renda da história do Brasil. Em terceiro lugar, transferimos dinheiro para estados e municípios. Em quarto lugar, preservar empregos e empresas, salvando mais de 12 milhões de empregos. Por fim, auxílio ao crédito, as medidas tomadas liberaram um potencial de mais de 1 trilhão de reais em crédito, de liquidez para virar crédito para as empresas”, explicou o secretário.

Importância do auxílio emergencial

Sachsida comentou ainda a medida que prorrogou o auxílio emergencial em mais duas parcelas.

“Isso vai ajudar muito a população carente. Nossos dados mostram que nos domicílios pobres, 93% da renda veio do auxílio emergencial, mais de 23 milhões de domicílios foram diretamente beneficiados por essa medida. Não fosse o auxílio emergencial, essas pessoas teriam dificuldade inclusive para comprar alimento”, ressaltou o secretário.

Crise também pode trazer oportunidades para o Brasil

A pandemia deixou claro que não é possível mais concentrar toda a produção em apenas um país, e isso pode acabar atraindo novas empresas para o Brasil.

“O Brasil é uma vibrante democracia, aqui temos várias oportunidades, vamos trabalhar nelas e trazer cada vez mais emprego e renda para a população brasileira”, frisou Sachsida.

Privatização pode ser uma saída

O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou que o governo federal que vai privatizar quatro empresas em 90 dias. O secretário lembra que em 1994, metade das localidades brasileiras não tinha telefone. Em 1998, no meio da crise da Rússia, México, Tigres Asiáticos, o Brasil privatizou a Telebrás.

“O resultado está aí, todo mundo tem telefone hoje. A mesma coisa vai acontecer agora quando privatizarmos empresas, a infraestrutura vai melhorar muito, e quem mais vai ganhar é o brasileiro mais pobre, que vai ter acesso a produtos de melhor qualidade, por menor preço”, completou Sachsida

Fonte: Jornal da Cidade Online



Voltar

Comentários




Notícias Relacionadas


Vídeos


Posto de combustíveis é roubado na BR-470

Posto de combustíveis é roubado na BR-470

Projeto de lei endurece punição para praticantes da “Farra do Boi” em SC

Projeto de lei endurece punição para praticantes da “Farra do Boi” em SC

Prefeitura de Taió divulgou cronograma de licitações

Prefeitura de Taió divulgou cronograma de licitações