Casos de dengue aumentam 900% em SC

Casos de dengue aumentam 900% em SC


O Governo de Santa Catarina realizou coletiva de imprensa na última semana para divulgar informações sobre a situação epidemiológica da dengue no Estado, que apresenta um aumento de 900% nos casos em relação ao mesmo período do ano anterior. Além disso, foi anunciada a integração das diferentes esferas do governo com o propósito de colaborar no combate às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti ao longo de 2024.

De acordo com os dados apresentados, o estado registra 4.043 casos prováveis de dengue, com um óbito confirmado. Já foram identificados mais de cinco mil focos do mosquito Aedes aegypti em 186 municípios, sendo que 154 já estão considerados infestados.

Sinais de alarme

Todos os casos de dengue devem ser monitorados quanto à presença de sinais de alarme, como dor abdominal intensa e contínua, vô- mitos persistentes, acúmulo de líquidos, hipotensão postural, sangramentos de mucosa, letargia (sonolência) ou irritabilidade.

“O tratamento principal da dengue é a hidratação adequada. Portanto, desde a entrada na unidade de saúde até a alta, a recomendação é receber hidratação, seja por via oral ou injetável, dependendo dos critérios de classificação do caso. Isso é essencial para evitar a progressão para casos graves.

“Para ilustrar, uma pessoa suspeita de dengue, pesando60 quilos, deve ingerir mais de 3 litros de líquidos por dia durante o tratamento em casa”, explicou Fábio Gaudenzi, médico infectologistae superintendente de Vigilância em Saúde de SC.

Vacina

Durante a coletiva, a secretária de Saúde, Carmen Zanotto, destacou a importância da vacina contra a dengue. “Inicialmente, 13 municípios receberão doses para crianças de 10 a 14 anos, complementando as açõesplanejadas para prevenir a doença no Estado. Contudo, a vacina não é a solução definitiva. A colaboração de todos é crucial para evitar o nascimento do mosquito”, explicou Carmen Zanotto.

Cidades

Receberão doses de vacina: Joinville, Araquari, São Francisco do Sul, Barra Velha, Garuva, Balneário Barra do Sul, Itapoá, Jaraguá do Sul, Guaramirim, Schroeder, Massaranduba, São João do Itaperiú e Corupá.

As regiões de saúde selecionadas atendem a três critérios: possuem pelo menos um município de grande porte, ou seja, mais de 100 mil habitantes, com alta transmissão de dengue registrada em 2023 e 2024, e com maior predominância do sorotipo DENV-2.

Reunião técnica

A coletiva foi realizada após uma reunião técnica de trabalho, que contou com a participação de autoridades, incluindo o governador de Santa Catarina, Jorginho Mello, a vice-governadora Marilisa Boehm, a secretária Carmen Zanotto, o superintendente de Vigilância em Saúde, Fábio Gaudenzi, além de representantes de outras áreas do governo e entidades como a Fiesc, Facisc, FCDL, Fecam e Conselho de Secretarias Municipais de Saúde.

Esforços

“Estamos tomando medidas preventivas. Além dos repasses previstos, toda a estrutura do governo estará envolvida na prevenção”, ressaltou o governador.



Voltar

Comentários




Notícias Relacionadas


Vídeos


Criminoso rouba posto de combustíveis e acaba preso em Lontras

Criminoso rouba posto de combustíveis e acaba preso em Lontras

PRF flagra quase 200 motoristas em excesso de velocidade domingo na BR 470

PRF flagra quase 200 motoristas em excesso de velocidade domingo na BR 470

DNIT aponta que problemas na drenagem fizeram água passar por debaixo da BR 470, em Rio do Sul

DNIT aponta que problemas na drenagem fizeram água passar por debaixo da BR 470, em Rio do Sul