Casos de Covid-19 entre crianças de até 9 anos cresceram mais de 200% em SC

Casos de Covid-19 entre crianças de até 9 anos cresceram mais de 200% em SC


O número de casos de Covid-19 entre crianças de até nove anos cresceu 206% em Santa Catarina entre 2 e 30 de julho. O mesmo aconteceu na faixa etária de adolescentes, de 10 a 19 anos, que sofreu um aumento de 204% no número de pacientes infectados.

+ Faça parte do nosso grupo de notícias no WhatsApp, acesse aqui!!

Os dados fazem parte de um estudo do Necat (Núcleo de Estudos de Economia Catarinense) da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). Divulgado nesta segunda-feira (3), o boletim analisou o agravamento da doença em Santa Catarina.

Em todo o Estado, até 2 de julho, eram 735 os casos de Covid-19 na faixa etária de zero a nove anos. Já no dia 30 daquele mês, 2.250 crianças tiveram resultado positivo para o novo coronavírus.

Entre a faixa etária de 10 a 19 anos, o aumento foi de 1.362 casos em 2 de julho para 4.145 ao final do mês. Para comparação com meses anteriores, até maio havia 23 crianças de 0 a 9 anos com a confirmação da infecção pelo vírus. Em junho, os casos entre as crianças chegaram a 240.

Já para os adolescentes de 10 a 19 anos, os números de maio e junho foi de 402 e 36, respectivamente.

Fiocruz alerta para risco no retorno das aulas

O avanço de casos entre os mais jovens preocupa principalmente por um possível retorno de crianças e adolescentes às aulas presenciais. Um estudo feito pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), em parceria com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostra que o retorno da atividade representa risco a 165 mil catarinenses.

A avaliação da instituição analisou dados sobre dois grupos populacionais que se encontram nos chamados grupos de risco da Covid-19: os adultos com idade entre 18 e 59 anos que têm diabetes, doença do coração ou doença do pulmão, e os idosos (com 60 ou mais anos).

Em seguida, cruzou os dados para verificar quantos desses dois grupos residem com crianças em idade escolar (entre 3 e 17 anos). Segundo a Fiocruz, se encaixam nesse grupo 84 mil idosos e cerca de 81 mil adultos com doenças pulmonares, cardiopatias ou diabetes.

Para a Instituição o retorno das aulas coloca os estudantes em situação de contágio. Isso acontece, diz a Fiocruz, mesmo que escolas adotem medidas de segurança e que as mesmas sejam cumpridas com rigor.

A justificativa é que o transporte público e a falta de controle sobre o comportamento de crianças e adolescente que andam sozinhos fora de casa representa potenciais situações de contaminação pela Covid-19.

“O problema é que, se forem contaminados, esses jovens poderão levar o vírus Sars-CoV-2 para dentro de casa e infectar parentes de todas as idades que tenham doenças crônicas e outras condições de vulnerabilidade à Covid-19, representando uma brecha perigosa no isolamento social que essas pessoas mantinham até agora”, conclui o estudo.

Governo lança diretrizes para retomada

Na última terça-feira (28), a Secretaria de Estado da Educação apresentou as diretrizes para o retorno das aulas em Santa Catarina. A atividade está suspensa até o dia 7 de setembro, em virtude do decreto publicado pelo Governo do Estado, abarcando aulas em todos os níveis de ensino.

Entre as diretrizes estão o retorno gradual, uso obrigatório de máscaras, medição de temperaturas e a suspensão da prática de esportes coletivos.

Fonte: ND+



Voltar

Comentários




Notícias Relacionadas


Vídeos


2ª edição do MTB Taió Marathon é adiada, mas já tem nova data

2ª edição do MTB Taió Marathon é adiada, mas já tem nova data

EEB. Guilherme André Dalrí, realiza feira multidisciplinar com os alunos

EEB. Guilherme André Dalrí, realiza feira multidisciplinar com os alunos

Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina completa missão em Rio do Sul

Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina completa missão em Rio do Sul